Cotidiano

DOULA: mulher que serve

OLÁ, amigas e amigos me chamo Natália Luiza Pedro sou Doula, tenho 33 anos, casada, tenho três lindas crianças que são tudo para mim, todos eles vieram em meus braços por via natural, adoro dançar sou integrante de uma CIA de Danças Árabes Cintia Barros. Sempre tive uma queda pela área da maternidade, gestação e bebês. Apaixonei-me ainda mais pela maternidade e tudo que a cerca quando me tornei mãe e mais ainda quando cursei Téc. Enfermagem e Patologia Clínica. Depois de acompanhar partos, fazer estágios, ler muito me informar bastante, participar de debates e congressos on-line, e virar fã da minha linda professora Glória Maria que era enfermeira chefe do Centro Obstétrico do hospital aqui em Ipatinga e minha inspiração aos cuidados com as gestantes, tive a confirmação que amava muito tudo isso e era o que iria fazer. Então comecei a pesquisar sobre o trabalho das DOULAS que não era muito conhecido aqui em Ipatinga e tenho que admitir que ainda é meio vago, mas já havia muitas adeptas em cidades como São Paulo, Belo Horizonte, Rio de Janeiro. E inclusive já disponibilizavam cursos para a preparação e atuação de pessoas interessadas em ser DOULAS. Mas muita gente ainda pergunta o que são as Doulas o que elas fazem? Farei um pequeno relato sobre:

O que e ser DOULA

A palavra Doula vem do grego e significa “mulher que serve”, que orienta e assiste a nova mãe no parto e nos cuidados com bebê. Seu papel é oferecer conforto, encorajamento, tranquilidade, suporte emocional, físico e informativo durante a preparação da gestação, pré-parto, parto e no pós-parto, logo depois já com ajuda ao recém-nascido amamentação e a própria recuperação da mamãe assim também como auxiliar a toda a família com tudo de novo que chega com o novo membro da família, passando assim tranquilidade para a puérpera e família. Pois e um período de intensas transformações  e adaptações que ira acontecer.
Antigamente o nascimento humano era marcado pela presença experiente das mulheres da família: irmãs mais velhas, tias, mães e avós acompanhavam, instruíam e apoiavam a parturiente e recém mãe durante todo o trabalho de parto, o próprio parto e os cuidados com o recém-nascido.

Então agora que você já sabe o papel da Doula fica mais fácil. Depois de acompanhar amigas no trabalho de parto e estudar e estagiar. Considerei tanto os aspectos emocionais, mentais, energéticos e espirituais, quanto físicos, mais acreditava que quando uma nova vida é concebida com amor, cuidado e consciência maiores seriam as chances deste individuo desenvolver-se com saúde. Então mergulhei de cabeça neste universo e tive a certeza que havia encontrado um foco para minha atuação.

Senti que não havia outro lugar para eu estar que não fosse bem ali ajudando sendo suporte, confidente, amiga e às vezes ate mesmo ficar louca eu e gestante rsrsrsr (descontração é tudo). Então fui atrás de cursos, materiais, profissionais e até Doulas de outras cidades. Foi ai então que em 2013 surgiu à oportunidade, fui convidada pelo Hospital Marcio Cunhada para fazer parte da equipe de Doulas da instituição, seria um trabalho de Doulas Voluntárias, claro aceitei de imediato. Então na própria instituição foi oferecido todo suporte com a equipe do Centro Obstétrico, palestras, depoimentos, técnicas e etc.. E aguardei a seleção onde chamariam as pessoas classificadas. Nossa quanta alegria, meu sonho tinha se tornado realidade, agora eu era integrante da equipe de Doulas, para somar mais a equipe da maternidade do hospital.

Ser Doula para mim é disseminar o poder que cada mulher tem de parir, dentro dos seus direitos, dento do seu querer. Cada gestante, cada família, cada situação, ali é criado um vinculo uma experiência sem tamanho, não existe milagre maior que o da formação de um ser e ter o previlegio de acompanhar cada etapa e então o maior de todos os milagres o nascimento!!! Há o nascimento não tem palavras muda tudo dentro de nos, ali renovo minhas forcas e minha gratidão quando olho dentro dos olhinhos de cada mamãe e acompanhante, nada é mais valioso, dever cumprido. E cada experiência ali vivida, cada nascimento, cada milagre cada lagrima, sorriso e gritos são inexplicáveis. Exatamente ali formamos laços muitas vezes eternos e maravilhosos pensar e dizer: SEJA BEM VINDO: Heitor, Alice, Bernardo, Ana Clara, Thiago, Lucas, Anthony, Yasmin, Mariana, Murilo, Sara, Gabriel. Guilherme e Gustavo Samuel, Arthur, Luiza, Bento, Enzo, Cecilia, Ana Bele e muitos e muitas… São tantos bebês e tantas mamães e tantos papais e titias, vovós, amigas, companheiros é muita emoção, comoção, nervosismo, coração bate mais forte numa grande mistura de sentimentos e como Doula participo de tudo isso e tenho papel de ser um pilar controlador de emoções! É lindo, sou frágil e forte sou pilar de emoções, mas controlada, sou choro por dentro e suavidade por fora, sou quem você pode se apoiar se confortar e se descontrolar!!! Sou Doula.

E como DOULA preciso saber que lhe dar com vida, muitas fezes significa perder vidas. Tenho que estar preparada, para acabar de comemorar um nascimento e logo após ser consolo a alguma mãezinha que infelizmente viu seu milagre virar um anjinho, nem sempre a vida nos poupa de ensinar de maneiras dolorosas, nesses momentos também estamos preparadas para dar apoio, e não seria diferente, estou sempre ali de prontidão para dar meu coração, abraçar sem que eu precise dizer uma só palavra, segurar sua mão bem firme e com apenas um olhar dizer estou contigo vai passar. Esse também é meu trabalho, saber que o momento se encarrega de aliviar a dor com muito respeito e carinho.

Hoje tenho um projeto e vários planos, ao presenciar diversas experiências em meu trabalho voluntário, estou numa fase onde estou montando um projeto (grupo) que visa orientar, preparar as futuras mamães e familiares envolvidos, assim temos como resultados gestações mais bem aceitas e tranquilas com poucas ou nenhumas intervenções, muitas vezes desnecessárias (já que muita gestante não tem apoio para fazer um pré-natal com um profissional formado, o que é essencial) gestações mais bem vivenciadas, companheiros e familiares mais envolvidos e seguros. Será um espaço onde poderemos sanar duvidas, fazer rodas de debates terem palestras e o mais importante o contato físico e apoio umas das outras, pois serão mulheres que estão passando ou passarão pela mesma situação “O MILAGRE DA VIDA”.

Sou DOULA do coração e por vocação.

Nasci para ser mãe, para dar colo, para aquietar, para esclarecer e para encorajar cada um de nós a ser exatamente quem é.

Uma das minhas grandes missões é ajudar mães a serem mães. É ser mão amiga que diz força você é forte!

Vejo a gravidez como um milagre da vida, uma força divina! Sou guardiã do parto, normal, humanizado, cesáreas quando são necessárias e dos novos seres, recém-nascidos, sou guardiã da Parturiente!

Acredito e defendo o respeito, o colo, o mimo, os afetos e a atenção que são dados aos bebés. Acredito no mundo como um lugar de amor, de comunhão com a natureza, de contemplação e de bênção.

Estou inteiramente disponível para prestar apoio emocional e informativo durante antes, durante gravidez, parto e pós-parto.

Acredito no poder de cada mulher e quero contribuir para escolhas cada vez mais conscientes, em amor e luz.

Sobre o autor

Natália Luíza Pedro

Comentários no Facebook