Cultura e Esporte

Quem descobriu o Brasil?

Talvez essa frase seja a mais repetida entre todas as pessoas quando se quer brincar sobre a obviedade e facilidade de alguma pergunta. Mas será que a resposta é assim tão simples?

PEDRO ÁLVARES CABRAL e DUARTE PACHECO PEREIRA

Apesar da afirmação de inúmeros historiadores portugueses, existem estudos especializados e bastante consistentes como o do Almirante Max Justo Guedes, defendendo a tese de que os navegadores espanhóis Vicente Pinzón e Diego de Lepe reconheceram territórios correspondentes aos atuais estados do Ceará, Piauí, Maranhão, Pará, Amapá e Amazonas, no ano de 1499.

Nas últimas décadas, foram realizados inúmeros debates a respeito dos fatos que cercam o descobrimento de nosso país. Foram abordadas discussões em relação à intenção ou acaso na viagem feita por Cabral em 1500, sobre os portugueses terem sido ou não os primeiros a chegarem ao território e, por último, o tema mais controverso: Cabral foi, realmente, o descobridor do Brasil?

A mais polêmica das discussões, entretanto, gira em torno do português Duarte Pacheco Pereira, que, em seu documento denominado Esmeraldo de situ orbis, cita não apenas a presença de terras, mas também a abundância de pau-brasil. O navegador recebeu do então rei de Portugal, D. Manuel I, uma missão secreta, com o objetivo de reconhecer territórios. À época, as terras recém descobertas estavam divididas entre Portugal e Espanha, através do conhecido Tratado de Tordesilhas, forçando o sigilo das viagens para que se evitassem guerras ou incidentes diplomáticos. Vale destacar que o navegador possivelmente avistou a costa do Maranhão e Pará entre os meses de novembro e dezembro, alcançando a foz do rio Amazonas. Tal tese é defendida pelo historiador português Jorge Couto, um dos maiores especialistas do mundo em Brasil Colônia.

 

Em viagem recente a Portugal, tive a oportunidade de conhecer a Vila de Belmonte, cuja estrutura comporta um impressionante sítio histórico, além de ser o local de nascimento de Pedro Álvares Cabral. A cidade tem vestígios do Império Romano e, obviamente, uma relação direta com nossa história.

Nos séculos XIV e XV, a vila e o castelo foram doados à família Cabral, que passou a residir no local. Trata-se de uma construção medieval e, apesar de algumas adaptações para fins turísticos, preserva o ambiente e o clima da época.

O local também abriga o Museu Judaico de Belmonte, que retrata a longa história da comunidade judaica na região, vitimada durante séculos pelas perseguições religiosas. É o primeiro museu deste gênero em Portugal, localizado no último reduto da comunidade judaica ali instalada por volta do século XV. O museu expõe mais de uma centena de peças religiosas, do dia-a-dia e de uso profissional utilizadas por famílias hebraicas de diversas regiões portuguesas.

Outra atração imperdível é o O Museu dos Descobrimentos. O local apresenta um acervo impressionante sobre o período das Grandes Navegações nos séculos XV e XVI. Os portugueses tratam esse momento da sua história com imenso orgulho, pois foram pioneiros no processo e responsáveis por uma das maiores transformações ocorridas nos rumos da civilização. O Museu está instalado no Solar dos Cabrais (parte das propriedades da família de Pedro Álvares Cabral.

Apresenta a história através de salas interativas, objetos originais e réplicas. Fica a dica para quem tiver a oportunidade. A sala de reprodução de uma viagem pelo mar, em que o visitante pode através de um simulador identificar momentos como tempestades, pôr-do-sol, calmarias e demais etapas. No vídeo ao final da matéria é possível imaginar como esses marinheiros vivenciaram uma das maiores aventuras da humanidade.

O Vetor Pré-Vestibular, em sintonia com as demandas do ENEM e demais Vestibulares, lançará em breve, material recolhido nessa oportunidade de conhecer Portugal e Espanha. Através de fotos e vídeo aulas poderemos abordar vários temas recorrentes e mostrar mais este grande diferencial de nossa instituição.

Sobre o autor

Luiz Otávio Marques

Professor Luiz Otávio Marques
Professor de história no Vetor Pré-Vestibular.
"Sua tarefa é descobrir o seu trabalho e, então, com todo o coração, dedicar-se a ele." Buda.

Comentários no Facebook