Tecnologia

Guerreiros Folclóricos – Conheça o game brasileiro que explora as lendas nacionais

Escrito por Redação

Cada lugar no mundo, por menor que seja, possui suas próprias lendas e mitos locais. Globalmente, as histórias mais transitadas entre os países do ocidente são as mitologias gregas e romanas, nórdicas, egípcias, celtas, cristãs e, em certos casos, algumas orientais. O Brasil é um desses lugares que tende a consumir bastante mercadoria de fora, sendo muitas vezes criticado por não valorizar seus próprios produtos e cultura. Veja bem, ao falarmos sobre consumir, nos referimos a procura e absorção de informações sobre essas histórias, já que, curiosamente, as lendas estão entre elas.

Por mais que seja gratificante, e mesmo essencial, as pessoas saberem sobre a importância e influência de outras mitologias sobre a sociedade mundial, conhecer sua cultura típica é quase um dever. E é justamente com o objetivo de celebrar as tradicionais histórias brasileiras que a produtora nacional Unique Entretenimento Digital está com o projeto de um game que visa a mitologia do país.

O jogo

Intitulado Guerreiros Folclóricos, o game traz algumas conhecidas figuras do folclore brasileiro, como o Saci, Mula Sem Cabeça, Caipora, Iara, Matinta Perera, entre outros. Baseado nas lendas nacionais, o jogo é rodado em 3D, com visão em terceira pessoa e com elementos que misturam ação, hack’n’slash e RPG. A história é sobre um reino chamado Akakor, um mundo à parte ao nosso, onde diversas criaturas vivem sob o governo de Saci. Certa vez, convencido de que a raça humana não era merecedora de seu lar, Saci decide invadir o mundo dos seres mortais a fim de conquistá-lo para si. No entanto, a Terra contava com seus protetores e qualquer um que queira tomá-la precisa passar pela vigia de Kambaí e seus lendários defensores. Saci foi derrotado e enviado ao Mundo das Lendas.

Cerca de trezentos anos depois, o rei de Akakor está de volta e com novos planos para invadir a Terra dos humanos. Agora, cabe ao guerreiro indígena, Kambaí, adentrar o Mundo das Lendas e enfrentar todos os seus perigos e criaturas para livrar o lugar de todo o mal de Saci.

Financiamento

O projeto é ousado e bastante inovador dentro do cenário nacional de games. Em 2016, o grupo chegou a abrir um financiamento coletivo por meio do site Cartase, infelizmente, a equipe não conseguiu atingir o valor mínimo para acabar de desenvolver o jogo. No entanto, Guerreiros do Folclore ainda vive! Com uma página no Facebook, a produtora tenta arrecadar a quantia suficiente para terminar o projeto que começou.

Os guerreiros

Certos nomes de personagens do jogo chegam a ser familiares às pessoas, como o próprio Saci e a Mula Sem Cabeça. Abaixo, você confere algumas artes conceituais dos guerreiros folclóricos e a descrição de seu personagem de acordo com os próprios desenvolvedores. Vale lembrar que, algumas características permanecem as mesmas de acordo com a lenda de cada um, porém, certos detalhes foram alterados para se encaixar na história. As belas artes ficam por conta de Joa Santos.

Iara

A melhor guerreira de sua tribo, suas habilidades estavam além da capacidade normal e muitos desconfiavam de sua origem, pois, desde criança já mostrava seus dons, sendo um deles conseguir se manter por muito tempo submersa, algo que nem mesmo um adulto conseguiria fazer. Possuía uma beleza rara e um olhar encantador, profundo e sereno, capaz de fisgar ou desnortear até mesmo um guerreiro de coração fechado. Por ser muito admirada pelo pajé da tribo, seus dois irmãos indígenas tinham muita inveja, então descobriram um segredo crucial de Iara, assim resolveram matá-la. O ataque ocorreu à noite enquanto ela dormia, mas Iara possuía um sexto sentido que a alertou do perigo e, no confronto, ela acaba matando seus irmãos em legítima defesa. Sentindo-se culpada, Iara foge, pula em um penhasco e retorna ao lar de seu verdadeiro pai, o ser marinho, senhor das águas conhecido como Ipupiara. Tempos depois ela retorna para superfície, agora com poderes em níveis extraordinários, é acolhida como a principal pela tribo das guerreiras Icamiabas.

Cuca

Certa vez em Ascalon, um dos reinos de Akakor, havia sido revelado para um forasteiro que ele era o cavaleiro escolhido, cujo a profecia mencionava ser o predestinado a enfrentar o terrível dragão e resgatar a filha do rei. Então ele montado em seu cavalo branco e, com a lança sagrada dada pessoalmente pelos monges do reino, parte em direção a um lugar inóspito e tenebroso, o covil da criatura conhecida como a Cuca! Ao chegar no local, com o rosto pálido, uma criatura terrível se revela para ele. Ao som de gargalhadas, ela diz ao cavaleiro que não existe profecia de alguma e sim uma lança sagrada que deveria ser entregue a ela pelas mãos de um inocente como um trato feito pelo rei que não viu outra forma de poupar seu reinado e manter a sua filha viva, que é a princesa, a bruxa e o dragão do reino.

Saci

O Saci é o guardião da cura e do veneno que a floresta esconde, sua mente é um santuário e está cheia de fórmulas e encantos, enquanto que seu coração está inundado pelos sentimentos de ódio e vingança. O Saci é um ser místico que quer invadir a Terra e criar uma guerra contra os humanos por tê-lo expulsado e enviado de volta ao Mundo das Lendas. Seu plano é trazer criaturas lendárias como Corpo Seco e Mapinguari para o nosso mundo e criar um verdadeiro caos. Ele sabe onde encontrar seus inimigos e fará de tudo para destruí-los e tomar o poder podendo, dessa maneira, dominar o planeta!

Kambaí

Personagem principal dos Guerreiros Folclóricos, é um lendário guerreiro indígena protetor da floresta e dos animais, que foi transportado da Terra para o Mundo das Lendas pelo deus Tupã com o objetivo de livrar aquele reino do comando do maligno Saci e de sua horda de zumbis Corpos Secos. Mas para isto terá que enfrentar criaturas monstruosas que tentarão impedir a todo custo o cumprimento de tal objetivo. Em sua jornada, descobrirá que possui alguns poderes sobrenaturais e saberá sobre sua origem neste mundo. Além de fazer aliados com habilidades distintas como: o Lobisomem Guará, o Caipora, a Iara, a Matinta Perera, Kambaí possui um importante colar mistico chamado Baêta, fonte de seus poderes e talvez de sua imortalidade.

Curupira

Também conhecido como Demônio da Floresta, é um anão de cabelos de fogo que tem muita força e agilidade, mas sua principal característica são os pés voltados para trás que são capazes de confundir seus adversários, fazendo eles se perderem na mata. Rival do Caipora que é equivalente em poderes, o Curupira pode controlar alguns animais selvagens a obedecer seus comandos, ajudando-o a matar suas vitimas. Ele ajuda o Saci em sua busca por vingança.

Naurú

Naurú é o Lobisomem em Guerreiros Folclóricos. Nessa versão, ele possui características de um Lobo Guará e faz parte de uma tribo de homens-lobo que se transformam mesmo que não haja lua cheia. Aliado de Kambaí, Naurú ajuda o lendário guerreiro a completar seu objetivo que é de livrar o Mundo das Lendas do comando do maligno Saci.

Alamoa

Mulher alta, com longos cabelos loiros, que aparece quase sempre à meia-noite, dançando na praia iluminada pelos relâmpagos de tempestade. Atrai os homens e os seduz, aqueles que sucumbem a seus encantos constatam sua horrível transformação numa caveira a quem entra em sua morada na elevação rochosa, a fenda se fecha e a vítima nunca mais é vista.

Mula Sem Cabeça

Condenada por ter um relacionamento profano com um sacerdote, a Mula Sem Cabeça corre sete freguesias todas as noites como forma de penitência buscando um dia se libertar da maldição. Seus galopes são potentes e seu relincho é assustador, e às vezes, parece ser grito de uma mulher arrependida.

Boto

Criatura transmórfica capaz de assumir a forma de um homem e passar despercebido entre os humanos,o Boto é mestre em manipulação e disfarce, a única forma de descobrir a sua verdadeira identidade é revelando o furo em sua cabeça.

Mapinguari

Uma criatura monstruosa com aproximadamente dois metros de altura, que devora qualquer ser vivo em sua frente mas se alimenta principalmente cabeças humanas! Com sua boca enorme emite rugidos assustadores para atordoar suas vítimas, possui uma força descomunal!

Matinta Perera

Uma entidade da noite, horrivelmente estrídula. Sua presença é anunciada por um agudo assobio, parecendo vir de todas as direções com grande intensidade. Ela tem a aparência de uma velha, com longos vestidos pretos, cabelos compridos despenteados, a cabeça envolvida por uma carapuça, aparecendo somente os olhos fundos e lúgubres. É associada a uma “rasga-mortalha”, que nas escuras noites sem luar, traz más notícias de um mundo místico.

Corpo-Seco

Condenados a vagar sobre a terra após a morte drenando insaciavelmente a energia vital de suas vítimas. De acordo com a lenda, rejeitados do túmulo onde haviam sido enterrados, expulsos com o corpo em estado de decomposição. Este é o castigo dado aos homens perversos e ambiciosos que um dia buscaram os tesouros de uma antiga civilização fantasma em Akakor.

Sobre o autor

Redação

Comentários no Facebook